Às vezes você só precisa de um pouco de criatividade

 

Kenton Lee estudante de design teve uma fase difícil em 2007: Sua namorada deu um pé na bunda dele, ele aceitou e finalmente decidiu que precisava ir para a África – tanto para ver como para conhecer o mundo sobre o qual ele havia lido até aquele momento e porque ele não conseguia aguentar a ideia de estar perto da ex.

Ele encontrou-se voluntariado em um orfanato no Quênia.Ajudar a cuidar das crianças curou suas feridas.E deu a ele uma visão de sua vida – que ele nunca esperou.Você pode imaginar as condições. O orfanato era pobre, mas fazia o melhor que podia. Ajudar uma criança é caro – imagine 100.

Uma garotinha chamou a atenção e aguçou a criatividade de Kenton.

Os calcanhares e dedos de seus sapatos haviam sido cortados. Ela havia crescido além dos sapatos e o orfanato não tinha dinheiro para comprar novos.

“Eu me lembro de pensar, e se os sapatos pudessem crescer com os pés”, disse Kenton. “A ideia ficou na cabeça e eu não pude deixar passar.”

Se você tem apenas um par de sapatos, não faz sentido que o sapato possa crescer enquanto seu pé cresce?

Ele voltou para os EUA com a ideia de desenvolver um sapato que pudesse crescer. Mas ele teve alguns problemas:

  • Ele não sabia nada sobre o design de sapatos
  • Ele não se viu como um inventor
  • Ele não tinha vontade de projetar ou inovar

Kenton se vê como uma pessoa normal, como podemos notar na sua frase:

“Esta é a única ideia que já tive!”

Nos anos seguintes, Kenton tentou levar a ideia para uma organização que pudesse dar vida a ela. Ele contatou todas as grandes empresas de calçados que ele poderia pensar. Ninguém estava interessado.

Todos eles disseram que não funcionaria. Eles disseram a ele para desistir da ideia.

Mas sem qualquer fabricação de sapatos ou experiência em marketing, ele respondeu:

“Não, acho que vai funcionar. Eu sei que há uma necessidade. Vou continuar tentando.

Kenton finalmente tentou fazer seu próprio protótipo – usando sapatos velhos que ele comprou de um brechó e os materiais em sua garagem.

Ele jogou muito baseball quando criança. O boné de beisebol inspirou-o. Ele pensou que o sapato deveria usar o mesmo tipo de sistema de furos e pinos para permitir que o sapato se ajustasse.

Eu fiz um trabalho horrível. Eu não sabia o que estava fazendo.

Mas o protótipo ajudou-o a entrar em contato com uma pequena empresa de design de calçados que adorou a ideia.

Um ano e 100 conceitos de design mais tarde, a Kenton e a empresa de design aderiram a um design sólido que permitia que o sapato se expandisse em comprimento e largura.

Eles fizeram um protótipo real, que eles continuaram a ajustar.

Em 2013, Kenton e sua nova esposa levaram 100 pares de sapatos que crescem para o Quênia para permitir que os órfãos com os quais ele trabalhou fizessem testes.

“Você sabe como uma criança pode ficar feliz por ter seu primeiro par de sapatos novos? Eu sei!”

Kenton

Kenton teve uma visão

Ele sabia que o conceito funcionaria, porque ele tinha vivido com a necessidade em primeira mão.

Ele sabia o que as crianças passavam. Ele sabia as condições que o sapato precisaria suportar. Ele sabia que impacto o sapato que cresce teria na vida dos órfãos.

Não importava que os outros lhe dissessem para desistir.

Não importava que os outros lhe dissessem que não funcionaria.

Não importava que levasse anos antes de encontrar alguém que pudesse e ajudasse.

Kenton já distribuiu The Shoe That Grows para aproximadamente 112.500 órfãos e crianças de baixa renda em 91 países.

Lições de Kenton: como inovar quando os outros lhe dizem para desistir

1. Dispensar os inimigos. O sucesso não vem da noite para o dia.

Kenton admitiu que se não tivesse passado algum tempo com os órfãos, provavelmente desistiria da primeira vez que alguém lhe dissesse que a ideia não funcionaria.

Mas, como ele vivera a experiência, sabia que a ideia certa funcionaria. Ele sentiu isso em seu núcleo. Isso deu a ele a força para rejeitar os comentários negativos que recebeu.

-Mantenha a visão. Mesmo que demore anos.

2. Cerque-se de pessoas que podem ajudar.

Kenton encontrou pessoas que entendiam o design de calçados e poderiam levar sua criatividade para o próximo nível.

Você não precisa ser o designer – você pode ser apenas o mentor da ideia.

Mesmo que a ideia seja ótima, você também precisa de pessoas que entendam de negócios para manter as coisas em movimento. O melhor amigo de Kenton, Andrew Kroes, assumiu o comando da empresa e se certificou de que eles permanecessem à tona.

Encontre as pessoas que podem ajudá-lo para que você possa permanecer focado sua criatividade.

3. Ouça e aprenda.

Ouça as pessoas que usarão sua ideia. Nesse caso, isso significava as crianças, diretores de orfanato, professores de escolas e pais.

Essa é uma atitude importante a ser adotada. Esteja disposto a aprender e se adaptar às necessidades do seu público-alvo. Então você pode criar algo que fará a diferença.

Um apelo à ação

Quais ideias você tem testado por aí?

Já lhe disseram que é uma má ideia e você deveria desistir?

Você ainda acredita em sua ideia?

Se você fizer isso, então pergunte a si mesmo:

Quem pode ajudar a dar vida à sua visão?

Quando Kenton começou, as pessoas não acreditaram na sua ideia.

Agora, mais de 100.000 crianças, designers de calçados, colaboradores, voluntários, funcionários e fãs acreditam.


Às vezes você só precisa de um pouco de criatividade

Meu eBook gratuito sobre criatividade pode ajudar você a utilizar melhor esse potencial.

 

Add comment: